Nova era da internet esconde desafios e oportunidades

tecnologia

Este é título de uma das  matérias da edição de janeiro do Boletim Universo EAD  do Senac SP, para a qual contribuí falando sobre web semântica e cloud computing :

Segundo Flatschart, hoje já se fala em Web 3.0, “que também é uma aplicação de tecnologias, porém, mais sofisticada”. Entre as novas tecnologias, está a Web semântica, definida por Flatschart como uma maneira de dar significado ao que está na rede. “E é isso que vai permitir a indexação inteligente do conteúdo dos sites”, garante.
Neste sentido, a especificação 5.0 da linguagem HTML atua como facilitadora. “Algumas novas tags, ou comandos, permitem definir de forma mais precisa o conteúdo da página – o que é título, o que é texto principal, o que é acessório – para que as ferramentas de busca possam indexar melhor o conteúdo”, explica. Dessa forma, é possível reduzir as ambiguidades apresentadas entre os resultados dos populares sistemas de busca.
Outra tecnologia que dará suporte à nova era da internet é a da cloud computing, ou computação em nuvem. Trata-se de uma infraestrutura de servidores interconectados via internet, capaz de oferecer serviços e software que até então só podiam ser usados se instalados no PC.
Atualmente, toda grande empresa, desde a IBM até a Amazon, já oferece algum serviço de cloud computing. O Google, por exemplo, há tempos oferece serviços de e-mail e aplicativos que podem ser utilizados via Web, sem qualquer instalação especial. A última novidade da empresa foi o anúncio do Chrome OS, um sistema operacional para netbooks que é a dissolução das fronteiras entre a Web e o desktop do PC. “Praticamente tudo vai rodar na Web”, resume o consultor.

Segundo Flatschart, hoje já se fala em Web 3.0, “que também é uma aplicação de tecnologias, porém, mais sofisticada”. Entre as novas tecnologias, está a Web semântica, definida por Flatschart como uma maneira de dar significado ao que está na rede. “E é isso que vai permitir a indexação inteligente do conteúdo dos sites”, garante.

Neste sentido, a especificação 5.0 da linguagem HTML atua como facilitadora. “Algumas novas tags, ou comandos, permitem definir de forma mais precisa o conteúdo da página – o que é título, o que é texto principal, o que é acessório – para que as ferramentas de busca possam indexar melhor o conteúdo”, explica. Dessa forma, é possível reduzir as ambiguidades apresentadas entre os resultados dos populares sistemas de busca.

Outra tecnologia que dará suporte à nova era da internet é a da cloud computing, ou computação em nuvem. Trata-se de uma infraestrutura de servidores interconectados via internet, capaz de oferecer serviços e software que até então só podiam ser usados se instalados no PC.

Atualmente, toda grande empresa, desde a IBM até a Amazon, já oferece algum serviço de cloud computing. O Google, por exemplo, há tempos oferece serviços de e-mail e aplicativos que podem ser utilizados via Web, sem qualquer instalação especial. A última novidade da empresa foi o anúncio do Chrome OS, um sistema operacional para netbooks que é a dissolução das fronteiras entre a Web e o desktop do PC. “Praticamente tudo vai rodar na Web”, resume o consultor.

Para quem quiser ler o texto na íntegra :

http://www.ead.sp.senac.br/newsletter/janeiro10/ead.asp?nome=tecnologia

🙂

Deixe uma resposta