Livros do Fábio Flatschart pela Editora Brasport

Livros Fábio Flatschart

Livros Fábio Flatschart

Minha primeira lembrança de experiência de leitura em geral é da Revista Recreio da Editora Abril, no começo dos anos 70. Com muitos recursos de interatividade ela trazia, além das historinhas, uma seção com encartes e atividades para pintar, recortar, colar e dobrar. Depois vieram os gibis Disney, objetos quase sagrados em casa quando criança, eram compartilhados e distribuídos por todos os cômodos e marcavam presença do banheiro às refeições, do quintal à cama. Frases como Porque me olhas assim com minha besta abati o Albatroz fazem parte do meu imaginário até hoje.

Mas livro, livro mesmo, os dois primeiros que recordo são Caçadas de Pedrinho (Monteiro Lobato) e Expedição aos Martírios (Francisco Marins) que meu pai pacientemente lia para mim e meus irmãos antes de dormirmos. Fundamentais foram os livros de leitura obrigatória na escola, entre eles O Caso dos Dez Negrinhos ou E não sobrou nenhum (Agatha Christie) e O gênio do Crime (João Carlos Marinho). Teve a fase de descobrir os livros que meus pais tinham em casa: Cronin, von Ihering, Hemingway, Veríssimo (o Érico) e muitos títulos da coleção Grandes Romances Universais

Os sebos da Praça da Sé e a Biblioteca do Centro Cultural São Paulo entraram em cena na adolescência e as Bibliotecas da USP na metade dos anos 80. São desta época também a descoberta das publicações musicais DoverRicordi e outras. O computador chega em casa no começo dos anos 90, e minha porta de entrada para o mundo digital foi pela editoração de partituras em 1993 com o Encore e logo depois pela Web em 1997 com o Front Page (medo !) e com Netscape Composer.

Os anos 2000 formam marcados pelos clássicos da cibercultura, do design da web e do marketing. Uma longa lista de livros que me acompanham até hoje nas aulas, nas palestras e nos cursos que desenvolvi ou coordenei nestes últimos 10 anos como professor em cursos de graduação, MBAs ou em capacitações e treinamentos corporativos.

No fim de 2010, tive o privilégio de conhecer o Sergio de Oliveira, diretor da Editora Brasport,empresa pela qual me foram abertos os caminhos para colocar em prática novos projetos. Um novo capítulo da minha história com os livros…

Apesar de entrar em contato com o mundo do livro digital por volta de 2007, ele só começa a fazer parte do meu dia-a-dia para valer a partir de 2011 quando, em parceria com a Soyuz Sistemas, tive o privilégio de desenvolver um projeto de conteúdo didático em HTML5 para o Sistema de Ensino UNO – México junto com a equipe da Editora Moderna em São Paulo. Outros dois pontos importante da minha relação com os livros digitais foram a criação de um curso até então inédito no Brasil, o HTML5 para Livro Digitais em parceria com a Editora Simplíssimo em 2012 e a minha aproximação com a equipe do Alt + Tab, Gabriela Dias, Lorena Vicini e Greg Bateman.

Essa história minha com os livros transcende épocas, estilos, suportes e tecnologias, pois é construída pela ânsia em descobrir, entender e compartilhar. Não é para isto que os livros existem? Ai vão eles…

O ato de escrever e de colocar as ideias no editor de texto pode ser de solitário e introspectivo, mas todo o processo, da concepção até o lançamento de um livro depende da colaboração de uma grande equipe. É para essas pessoas que vão os meus sinceros agradecimentos.

Obrigado a toda equipe da Editora Brasport, no Rio de Janeiro e em São Paulo !


1 – O Pato Donald Nº 790 Ano 1966 – A Lenda Do Albatroz
2 – Grandes Romances Universais em 20 volumes – Editora: W. M. Jackson Inc. 1955

Deixe uma resposta