Gruta das orquídeas assoviadeiras

Em um aula do curso de design gráfico na FMU estávamos conversando com os alunos sobre questões específicas das mídias digitais : fluidez, adimensionalidade…e outras coisas mais que dariam um bom texto aqui para o “Quadro dos bemóis”. Para exemplificar alguns destes conceito analisamos o site da agência Leo Burnett e o site Havaianas, produto que dispensa apresentações !

Ficamos algum tempo no site das Havaianas discutindo as questões de navegabilidade e usabilidade quando também mencionei os elementos visuais inspiradas no psicodelismo. Esta palavra causou “estranheza” em alguns alunos e começamos um pequeno debate sobre o assunto…

havaianasO psicodelismo influenciou uma geração inteira de artistas do final dos anos 60, que utilizavam como referência de criação as sensações causadas pelo uso de drogas, notadamente o LSD.
Os efeitos principais documentados nas experiências psicodélicas são :

* Aumento das capacidades sensitivas (principalmente visuais), tornando as cores mais “brilhantes”
* Cores realçadas, ligeiras alucinações visuais (ex. objetos se movimentam ), desenhos parecem adquirir terceira dimensão*
Há alguma confusão entre os sentidos (ex. o indivíduo começa a “ver os sons como cores”).
Existem outros meios como a meditação ou yoga para alcançar estados semelhantes de experimentação sensorial.

havaianasEscritores, músicos, designers , artistas plásticos, muitos “viajaram” neste mundo de cores e sons…vamos ver alguns exemplos :
beatlesThe Beatles – Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band (1967) Criada pelos artistas pop Peter Blake Jann Haworth, a capa deste disco famosíssimo dos Beatles, lançado pela Parlophone, é uma das mais conhecidas do mundo. Mistura personagens da cultura pop dos EUA e Inglaterra,

beeggesBee Gees – Bee Gees’1st. (1967) Criada por Klaus Voorman. Várias caracteríticas psicodélicos estão presentes na capa de ste dico. Mistura surrealismo, contraste de cores por saturação e tipografia distorcida em curvas.

Outro exemplo da influência do psicodelismo na criação artística é a linguagem audiovisual como neste programa infantil de televisão “The Banana Splits & Friends Show” lançado na tv americana em 1968 e que misturava sons e imagens em um ambiente de fantasia psicodélica ( A Bandeirantes exibia este programa nos anos 70 aqui no Brasil ). Veja a abertura do programa abaixo :

Quando eu tinha uns 10 anos ( e nem imaginava o que significava psicodélico ) inocentemente assitia à este desenho : A jovem e bela princesa Aurora e seu amigo Terry viajam em um veículo, que é um carro-balão, acompanhados por uma estranha criatura que parece um cruzamento de anta com cachorro em busca da “Chave de Cristal” que está escondida na Gruta das Orquídeas Assoviadeiras” cujo poder mágico poderá livrar o reino da princesa de uma terrível maldição.

grumpDurante sua aventuras passam por lugares conhecidos por como : Cidade das Portas, Cidade das Ervilhas, Cidade da Neve, Cidade dos Relógios, Cidade dos Sapatos. Praticamente uma viagem ao País das Maravilhas de Lewis Carrol. Não sendo tudo isto suficientemente absurdo, eles são perseguidos pelo malvado feiticeiro Rabugento e seu terrível porém alérgico dragão.

grump Rabugento ( Here Comes the Grump/1969 ) era o psicodélico desenho animado dos estúdios Depatie-Freleng, que também eram responsáveis por outras criações dos anos 60 e 70 : A Cobrinha Azul (The Blue Racer/1972), Missão Quase Impossível (The Houndcats/1972), Toro e Pancho (Tijuana Toads/1969) e O Xerife Hoot-Kloot (Hoot-Kloot/1973). Porém seus maiores sucessos foram A Pantera Cor-de-Rosa (The Pink Panther/1964) e O Inspetor (The Inspector/1965).

Ouça a vinheta de abertura do desenho : [audio:grump.mp3]

O Rabugento…este era psicodélico !!!

Deixe uma resposta