De muitos para muitos

Mesmo que a cultura de massa ainda exerça uma influência enorme no comportamento da sociedade, a geração Internet está se pautando pela cultura de nicho, pela comunicação “De muitos para muitos”,

Mesmo que a cultura de massa ainda exerça uma influência enorme no comportamento da sociedade, a geração Internet está se pautando pela cultura de nicho, pela comunicação “De muitos para muitos”.

O mundo no bolso ? Informação, entretenimento e conhecimento na ponta dos dedos em todos os momentos, em todos os lugares, personalizados e filtrados para as suas necessidades  ?

 O futuro já chegou. Só não está uniformemente distribuído”. William Gibson

Vamos voltar um pouco no tempo e reconstruir esta história…

Cultura, Tupi, Globo, Record, Gazeta e Bandeirantes. Estas eram as opções do broadcast televisivo brasileiro na cidade de São Paulo nos anos 70. Globo e Tupi (depois SBT) eram as que contavam, a Record corria por fora, a Bandeirantes era mais focada no universo esportivo e a dupla Gazeta e Cultura tinha difícil sintonia e audiência no limiar do zero. Era muito fácil compartilhar aspectos comuns e conviver neste cenário, de poucas opções e poucas tribos.

Nesta mesma época, o rádio oferecia mais nichos, com suas opções de AM, FM e Ondas Curtas permitiam maior regionalização do conteúdo. No Brasil, a mídia impressa convivia e brigava com a censura…

O modelo vigente era a comunicação unidirecional, “De um para muitos”. Conteúdo curado, produzido e formatado no modelo “One size fits all” ou seja, onde uma única opção atendia a todos. As possibilidades cartesianas de escolha e o leque de opções mais enxuto permitiu o florescimento de uma cultura de hits, a geração blockbuster que comungava dos mesmos valores e hábitos e práticas de consumo. Não é a toa que nesta época, fim dos anos 60 nos EUA e anos 70 no Brasil, os movimentos da contracultura ganhavam força questionando o status quoo sistema e as regras impostas pela cultura da coletividade.

Mesmo que a cultura de massa ainda exerça uma influência enorme no comportamento da sociedade, a geração Internet está se pautando pela cultura de nicho e pela comunicação “De muitos para muitos”, onde personaliza, cria, divulga e compartilha seus próprios anseios e necessidades. Esse é o ponto de partida para entender as implicações da sociedade em rede nas esferas sociais, políticas e econômicas, é daqui que começamos 🙂

Dica : Para saber mais sobre este embate entre a cultura e o mercado de massa versus a cultura e o mercado de nicho recomendo o livro “A Cauda Longa” de Chris Anderson*


*ANDERSON, Chris. A cauda longa: do mercado de massa para o mercado de nicho. Rio de Janeiro. Elsevier, 2005

Deixe uma resposta